Pesquisar neste blog

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O Chafariz Seco

Jou Silveira

Numa dessas sextas-feiras, em assembleia no Esquina dos Gordos, bar de heterogênea freguesia, já que fica, ou é, uma parada de ônibus, ouvi de um amigo, experiente profissional do copo e de causos, um causo merecedor de registro.
                Corria o ano de 83 na cidade de Pedro Osório, assim como no resto do mundo; vale salientar que muito do que acontece na referida cidade, não acontece no resto do mundo; e como é rotineiro em todas as segundas-feiras, ocorre a assembleia dos vereadores.
                Pois bem, entre os presentes estavam os vereadores Élvio Guerra Machado, conhecido como Cavaquinho, e Guaracy Uminski.
                Depois de exaustivas discussões sobre a pauta do dia, foi trazido pelo Guaracy, homem de profundos conhecimentos topográficos de balcões, uma dúvida que estava proporcionado-lhe horríveis pesadelos, sendo que em vários deles afogava-se; e dizem as más línguas, acordava agarrado ao copo da dentadura.
                Por quê o chafariz da Praça Antonio Satte Alam é seco, não tem uma gota de água, e segundo ele, isto estava, inclusive, atrapalhando a educação das crianças da cidade, já que em todas as outras cidades o chafariz tem água, sendo que o de Arroio Grande tem mais água que as piscinas do Clube Aquático daquela cidade.
                Sensibilizado com a ansiedade do colega, eis que o Cavaquinho, este graduado em relações públicas, intervém prontificando-se em procurar o engenheiro da prefeitura para que este esclarecesse esta dúvida que estava devastando as noites do nobre colega.
                Ao encontrar o engenheiro no dia seguinte, terça-feira, interpelou-lhe solicitando o devido esclarecimento, e eis que ouve a seguinte resposta: Este é um problema da lei da gravidade.
                Satisfeito, embora sem entender o que isto queria dizer, amargou noites insones esperando a próxima assembléia na segunda-feira , já que não conseguiu quórum para uma extraordinária, pois chovia muito naquela semana, e todos estavam cuidando o rio que subia assustadoramente.
                Na segunda-feira foram buscá-lo em casa, tal era a curiosidade do plenário.
                Lá chegando não houve tempo nem para comentar o jogo de domingo no Estádio Mimosa Rodrigues (tinha fechado um pau entre todo o time do Internacional de Arroio Grande e o Piratini), que foram logo querendo saber qual o grande mistério que escondia o único chafariz seco do mundo, e o Cavaquinho não se rogou, lascando textualmente:”É um problema da lei da gravidade”.
                Ao ouvir o relato, que resolveu uma dúvida e criou outra, o Guaracy interpelou em tom solene dizendo:  Deixa como está que essa lei eu conheço, essa é federal.
                Hoje quem for na Praça Antonio Satte Alam, em Pedro Osório, vai encontrar o único chafariz aterrado que se tem notícia.
                

Nenhum comentário:

Postar um comentário