Pesquisar neste blog

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Palavreando



Etimologia - s.f. Ciência que investiga a origem, étimo, das palavras procurando determinar as causas e circunstâncias de seu processo evolutivo. 
Matéria ou disciplina que analisa a descrição de uma palavra em vários âmbitos linguísticos anteriores à sua formação.
Procedência de um termo tanto em sua forma mais antiga quanto nos aspéctos relacionados à sua evolução.
(Etm. do grego: etumología) do Dicionário Informal
                                                                                                                                                                   (google imagens)


    Etimologia, portanto, é um assunto que me interessa. Gosto de especular sobre a origem de algumas palavras e expressões que usamos.  Forró, por exemplo. Muitos ouviram dizer que a palavra forró vem do inglês for all (para todos). Forró (a palavra, e não o ritmo) teria surgido quando as forças armadas americanas se instalaram no litoral nordestino brasileiro durante a II Guerra, e a noite os soldados iam para os locais onde a festa era animada pelo ritmo típico da região. E como a festa era para todos (for all), os brasileiros aportuguesaram a expressão.  Essa é a versão mais conhecida, porém, contestada. Alguns historiadores dizem que foram ingleses, e não americanos, sitiados no nordeste para construir uma ferrovia no início do século XX. Outros ainda apontam que o termo vem de outra dança, o forbodó (forrobodó), onde um bumbo ditava o ritmo. Seja como for, quero deixar aqui as minhas teorias para o surgimento de algumas palavras e expressões não tão elegantes como forró. São elas:

    Besteira – Em filmes americanos ouvimos o personagem praguejar dizendo “bullshit”. Em tradução livre, bullshit é “merda de touro”. Merda de touro é bosta, e, aportuguesando, bullshit fica “bosteira”, que virou “besteira” (bullshit, para os americanos, é isso mesmo: falar bobagens, asneiras).

     Rango (comida) – Outra vez uma palavra de origem inglesa. Quando sentimos fome é comum dizermos “vou fazer um rango”, ou “vou ranguear”. Fome, em inglês, é hunger (hungry ,é faminto). Daí para rango é um petisco.

     Comer e comer – Algumas expressões inglesas ganharam flexão verbal no aportuguesamento, como “food” (comida). Desta forma, “comer” seria $&*#@¨&@... você entendeu.

       Coitado – Tem sua raiz na palavra “coito”, que é o ato sexual.  Sacou a relação com a palavrinha “food” aí de cima? Um sujeito coitado é, em outras palavras, um sujeito fu!

      Recuar – Se fosse um verbo, cuar significaria andar com aquela parte do corpo onde o sol não bate. Recuar seria, portanto, cuar para trás, cuar de ré. Mas isso não sou eu quem diz, pois um pesquisador teve essa teoria antes de mim.

      Xarope - Em inglês, “cala a boca” é shut up (pronuncia-se algo como sharap). Podemos afirmar que xarope é um cala a boca para quem tem tosse. E também chamamos de xarope o cara chato, que não para de falar (shut up, Galvão!).
                                                                                                                     (google imagens)

2 comentários: